(41) 3373-8688 / (41) 3019-4032 / (41) 98405-9972 [email protected]

POSTECTOMIA

A postectomia (ou Circuncisão), cirurgia para a retirada do prepúcio (aquele excesso de pele natural do pênis), não é um procedimento desconhecido. Mas os resultados, muitas vezes, são mal esclarecidos e confundidos com mitos, especialmente com relação à vida sexual de quem recorre a ela.

 

 

 

 

As indicações para sua realização são:

– Presença de Fimose, ou seja, quando o homem é incapaz de expor completamente a glande (cabeça do penis), retraindo o prepúcio.
– Quando o homem, mesmo conseguindo expor a glande, sente dor ou desconforto quando isto ocorre, principalmente durante a relação sexual ou masturbação
– A ocorrência de Balanopostites (que são inflamações, geralmente provocadas por infecções fúngicas – micoses – na glande ou no prepúcio) de repetição. Por motivos estéticos ou de higiene.

É importante ressaltar que a grande parte dos problemas que acontecem no pênis estão relacionados com as condições de higiene, desta forma a Postectomia, por permitir a limpeza da Glande com mais facilidade acaba por prevenir estes problemas.

1. Se eu tenho Ejaculação Precoce, esta cirurgia pode me ajudar?
R: Esta é uma pergunta muito comum. Trata-se de um Mito. Muitos anos atrás chegou-se a acreditar que sim, que poderíamos reduzir a sensibilidade da glande com a Postectomia, mas hoje sabemos que não é verdade. Inumeros estudos científicos mostraram que não há relação entre a realização de Postectomia e ocorrecia de Ejaculaçao Precoce.

2. Pode alterar a sensibilidade e diminuir o prazer sexual?
R: Outro mito. O prazer sexual não tem relação com a cirurgia, mas é importante lembrar que a satisfação sexual está muito relacionada com o fator psicológico, desta forma, a orientação adequada do paciente antes da cirurgia é fundamental para não haver falsas expectativas ou preocupações.

3. A cirurgia aumenta ou reduz a chance de contaminação por DST?s?
R: Em países com alta incidência de pessoas com HIV/AIDS (especialmente na África) , a realização da circuncisão reduziu a ocorrência desta infecção em homens, o que levou a Organizaçao Mundial de Saúde a recomendar a sua realização de rotina. Esta lógica se aplica a outras DSTs?. Isto porque a fácil aderência da pele propicia a contaminação. Alem disso, pacientes postectomizados conseguem identificar lesões provocadas por estas doenças com mais facilidade na glande, permitindo o tratamento adequado mais rapidamente. Lembrando que isto não é garantia e que sempre deve se tomar todos os cuidados, principalmente usando camisinha.

4. A Postectomia pode prevenir o surgimento de Câncer?

R: Sim. O pênis produz uma substancia esbranquiçada (o esmegma) que tem como função proteger e lubrificar a glande. Porem, seu acumulo é irritativo e pode provocar inflamação crônica da glande levando ao surgimento de Câncer de Pênis. A higienização adequada impede esse acumulo e previne o surgimento do câncer. Em pacientes com fimose, por não conseguirem expor a glande para retirar o excesso de secreção, a chance de ocorrência de tumor de pênis é maior e a Postectomia é importante para reduzir essa chance.