(41) 3373-8688 / (41) 3019-4032 / (41) 98405-9972 [email protected]

Os tipos de câncer mais frequentes que acometem o sistema urológico são: próstata, bexiga e rim. Eles são responsáveis por mais da metade dos casos de câncer em homens, com maior número de casos na próstata.

Câncer de Bexiga

O segundo tipo de câncer mais frequente no aparelho urinário é o tumor na bexiga. Apesar de acometer jovens e mulheres, o problema é mais comum em homens acima dos 60 anos. Os principais sintomas de câncer na bexiga são:

• Presença de sangue na urina (hematúria) ou coloração anormal;
• Dificuldade para urinar, com dor ou ardência;
• Incontinência urinária;
• Dores pélvicas, nas costas, fadiga e perda de peso.

Existes fatores de risco, entre os principais:

  • Tabagismo – O tabagismo é o principal fator de risco para o câncer de bexiga. Fumantes têm 3 vezes mais chances de ter câncer de bexiga do que aqueles que não fumam. O tabagismo causa cerca de metade dos casos do câncer de bexiga entre os homens e mulheres.
  • Exposição Ocupacional – Certos produtos químicos industriais têm sido associados ao câncer de bexiga. Entre os produtos mais implicados estão os conhecidos como aminas aromáticas, utilizados na indústria de corantes, podem causar câncer de bexiga.
  • Idade – Cerca de 90% das pessoas com câncer de bexiga tem mais de 55 anos de idade.
  • Gênero – O câncer de bexiga é muito mais comum em homens que em mulheres.
  • Irritação Crônica e Infecções – Infecções urinárias, cálculos nos rins e bexiga, e outras causas de irritação crônica do órgão têm sido associadas com câncer de bexiga.
  • Histórico Pessoal – Os carcinomas uroteliais podem ser formados em muitas áreas como no revestimento da bexiga, do rim, ureteres e uretra. Ter um câncer em qualquer parte do revestimento do trato urinário aumenta a chance de ter outro tumor. Por este motivo, as pessoas que tiveram câncer de bexiga precisam estar em acompanhamento médico periódico.
  • Histórico Familiar
  • Baixo Consumo de Líquidos – Não beber líquidos em quantidade suficiente pode aumentar o risco de câncer de bexiga. Pessoas que bebem quantidades razoáveis de líquidos diariamente têm uma menor incidência de câncer de bexiga.

O tratamento indicado vai depender principalmente  do estágio da doença.

Geralmente o tratamento se inicia com uma ressecção transuretral, na qual o tumor é removido durante um procedimento endoscópico, minimamente invasivo. Este procedimento vai dar o diagnóstico correto e estadiamento da doença. Algumas vezes é o suficiente para o tratamento.

Em outras, pode ser necessário outro tratamento associado, que pode ser:

Quimioterapia e imunoterapia intravesical – Após a remoção do tumor por via endoscópica, dependendo do caso, pode ser indicada a instilação intravesical de imuno ou quimioterápicos com a finalidade de diminuir a incidência de recorrências.

Cistectomia – A remoção parcial ou completa da bexiga poderá ser necessária em pacientes com tumores de alto risco ou em estágio mais avançado (invasivos).

Consulte seu urologista.