(41) 3618-9330 | (41) 98798-9125 [email protected]

TRATAMENTO DA INFERTILIDADE EM CURITIBA

TRATAMENTO DA INFERTILIDADE EM CURITIBA

ESPECIALISTA EM INFERTILIDADE EM CURITIBA

TRATAMENTO DA INFERTILIDADE EM CURITIBAA infertilidade afeta 15% dos casais que tentam engravidar. A grosso modo, cerca de metade desses casais terá um fator masculino envolvido, é um fator masculino será a única causa da infertilidade em cerca de 25% dos casos. Assim, todos os homens devem ter pelo menos uma avaliação básica por um urologista no início da avaliação feminina para evitar tratamentos femininos caros e desnecessários. A infertilidade é definida como a incapacidade de engravidar após 1 ano de relação sexual desprotegida. Muitos casais procuram atendimento médico antes de esperar um ano, especialmente se a parceira tiver mais de 35 anos. A maioria dos casais que procuram assistência médica para fertilidade não necessita de tratamentos caros e de alta tecnologia.

A etapas do processo reprodutivo precisam estar em perfeito funcionamento para ocorrer a gravidez. As principais fases são a ovulação, a captação do óvulo pela tuba, a fertilização deste pelo espermatozóide e, por fim, a implantação do embrião formado no útero.

REPRODUÇÃO MASCULINA

O sistema reprodutor masculino consiste em órgãos sexuais internos e externos que estão sob controle hormonal sensível de estruturas no cérebro, como a glândula pituitária e o hipotálamo.

Normalmente, o hipotálamo secreta moléculas que estimulam a glândula pituitária a produzir hormônios necessários para o funcionamento do testículo. A função testicular pode ser simplesmente dividida em função endócrina e exócrina. A função endócrina do testículo inclui a produção de testosterona, um hormônio esteróide crítico que ajuda a formar e manter a função dos órgãos sexuais masculinos, estimula a produção de esperma e regula a secreção de hormônios hipofisários para prevenir sua superprodução. A função exócrina do testículo consiste em uma produção extraordinariamente alta de esperma, as células necessárias para transportar o material genético do macho até o óvulo feminino para produzir um embrião. Do início ao fim, os espermatozóides levam cerca de 74 dias para se formar. Do testículo, os espermatozóides são secretados para o epidídimo, um único órgão tubular altamente complicado residindo atrás de cada testículo. É no epidídimo que os espermatozoides ganham sua habilidade de nadar, bem como outras qualidades maturacionais importantes.

Os espermatozóides maduros e alguns imaturos são expelidos da uretra durante a ejaculação. Orgasmo é um evento neurológico complexo no qual os espermatozóides são depositados a partir dos tubos dos vasos deferentes emparelhados (emissão), onde se juntam a secreções importantes de outras glândulas situadas atrás da bexiga urinária (próstata e vesículas seminais) antes de serem emitidos com força do pênis (ejaculação) . O esperma e os fluidos seminais normalmente entram na uretra dentro da próstata e são impedidos de fluir para a bexiga (ejaculação retrógrada) pelo fechamento apertado do colo da bexiga no momento do orgasmo.

Embora não haja uma definição estrita para uma análise de sêmen “normal”, a Organização Mundial da Saúde (OMS) determinou padrões mínimos do que pode ser considerado qualidade de sêmen adequada para que a concepção ocorra. É importante perceber que estes representam padrões mínimos e não necessariamente valores “normais” encontrados em homens férteis.

CRITÉRIOS DA OMS PARA PADRÕES MÍNIMOS DE SÊMEN

Volume > 2.0 cc
pH > 7,2
Concentração de esperma > 20 milhões / cc
Contagem total de esperma > 40 milhões / ejaculado
Motilidade > 50% ou ³ 25% com motilidade progressiva
Morfologia > 15% formas normais (critérios estritos)
Vitalidade > 50% vivo (coloração vital)

(Adaptado do manual de laboratório da OMS para o exame de sêmen humano e interação espermatozóide-muco cervical. Quarta edição, 1998).

Volume > 2.0 cc
pH > 7,2
Concentração de esperma > 20 milhões / cc
Contagem total de esperma > 40 milhões / ejaculado
Motilidade > 50% ou ³ 25% com motilidade progressiva
Morfologia > 15% formas normais (critérios estritos)
Vitalidade > 50% vivo (coloração vital)

(Adaptado do manual de laboratório da OMS para o exame de sêmen humano e interação espermatozóide-muco cervical. Quarta edição, 1998).

Fatores Femininos

  • Problemas na ovulação (fator ovulatório)
  • Alterações tubárias (fator tubário)
  • Alterações no útero (fator uterino)
  • Endometriose.
TRATAMENTO DA INFERTILIDADE CURITIBA

Fatores Masculinos

Problemas na formação, no transporte ou na ejaculação dos espermatozóides.

  • Anormalidades anatômicas (congênitas ou adquiridas);
  • Disfunções hormonais (endócrinas);
  • Infecções;
  • Causas imunológicas;
  • Alterações Genéticas;
  • Tabagismo;
  • Uso ou exposição de substâncias toxicas;
  • Trauma;
  • Disfunções Sexuais;
  • Doenças Crônicas;
  • Tratamento para Câncer;
  • Varicocele

Em até um terço dos casos, mesmo após investigação adequada, não é possível descobrir a causa da infertilidade (Infertilidade Sem Causa Aparente – ISCA)

AGENDE JÁ SUA CONSULTA

Dr. Ruimário, Membro ativo da American Society of Andrology